Atuação de Max Russi deve efetivar agentes de saúde de Sorriso

Primeiro-secretário da Assembleia Legislativa fez o pedido ao TCE-MT, no ano passado, agilidade na análise do processo de certificação
Agentes comunitários de saúde e de combate a endemias (ACSs e ACES) de Sorriso,, estão a um passo da efetivação de suas carreiras. Isso por conta da decisão favorável do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT), ao processo de certificação, que dá aval ao encaminhamento.
As tratativas já vinham sendo conduzidas pelo primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, deputado Max Russi (PSB) e a expectativa é de que 200 profissionais sejam beneficiados.
Neuci de Moraes é agente comunitária de saúde, atua na zona rural do município há 17 anos e recebeu a notícia com bastante otimismo. Ela foi aluna do curso de qualificação em Técnico em Agentes Comunitários de Saúde (TACS), com ênfase em Endemias. “Estou muito emocionada e muito, pois é uma luta que a gente vêm travando há muito tempo, correndo atrás, pedindo ajuda. Estou imensamente agradecida”, disse
O pedido de Max Russi ao TCE-MT teve por base a Emenda Constitucional nº 51, de 14 de fevereiro de 2006. O documento foi entregue ao gestor da Corte de Contas, na época, Guilherme Maluf.
A alegação de Russi é que a legislação prevê a dispensa de processo seletivo público de ACSs e ACEs, que desempenha suas atividades antes da promulgação da emenda. O primeiro-secretário reforçou que os profissionais qualificados no TACS também possuem esse direto.
“Esse é um reconhecimento a esses profissionais da saúde tanto merecem, pelo trabalho que desenvolvem. Costumo dizer, são a ponta da lança da saúde pública”, justifica o parlamentar.
Atuação
A efetivação dos ACSs e ACEs tem sido uma das principias bandeiras defendidas pelo deputado Max Russi, desde sua atuação como prefeito, sendo um dos primeiros gestores do estado a efetivar a categoria.
No ano passado, o primeiro-secretário foi autor da proposta, que criou a Câmara Setorial Temática (CST) dos ACSs e ACEs, sob a relatoria do doutor Carlos Eduardo Santos, com o intuito de proporcionar qualificação técnica e estudos da legislação.
A partir dessas diretrizes, foi lançado o curso profissional Técnico em Agentes Comunitários de Saúde (TACS) com ênfase em Endemias, que só ano passado formou, gratuitamente, 1.141 profissionais em 10 municípios polos do Estado. A expectativa, para 2022, é de que mais de 1000 sejam qualificados.
Da Assessoria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.