Candidato à Prefeitura diz que já ‘vomitou com cheiro de pobre’

Rafael Greca (Internet)

Rafael Greca (Internet)
Rafael Greca
(Internet)

Durante sabatina realizada ontem, na Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Paraná, o candidato à prefeitura de Curitiba Rafael Greca (PMN) disparou uma frase, no mínimo, polêmica.
Perguntado sobre o que fará, caso eleito, em relação ao crescimento do número de moradores de rua na cidade, Greca mencionou o Papa Francisco, sugeriu a criação de albergues com serviços essenciais e citou sua passagem como membro assistencial da Casa dos Pobres da Igreja Católica.
Em certo momento, ao relembrar um “causo”, disparou:
“Eu nunca cuidei dos pobres, eu não sou São Francisco de Assis. Até porque a primeira vez que tentei carregar um pobre e pôr dentro do meu carro, eu vomitei por causa do cheiro”, declarou Greca durante o evento, promovido pelo curso de Jornalismo da Escola de Comunicação e Artes (ECA), em parceria com a Escola de Educação e Humanidades (EEH) e a Escola de Direito (ED).
Desculpas
Por meio de sua assessoria de imprensa, Rafael Greca emitiu nota, em que pede desculpas pela “falta de clareza em seu discurso” durante a sabatina.
“Peço perdão pelas minhas palavras. Não tive a capacidade de explicar a dificuldade que vivi ao tentar realizar o trabalho de resgate social na minha juventude. Mais uma vez, descontextualizam o que falo para tentar enganar as pessoas. Ontem, durante a Sabatina na PUC, ao exaltar o difícil trabalho dos educadores sociais e das irmãs de caridade, comentei sobre o quão difícil é essa missão. Com sinceridade disse que não tenho a capacidade desses profissionais para o resgate, mas que acima de tudo, admiro, respeito, faço e farei o possível e impossível para mudar o quadro de abandono nas ruas. Peço que me perdoem pela falta de clareza do discurso. Não me interpretem mal”.
De acordo com os últimos números do Ibope, Greca estaria com 45% das intenções de voto, bem à frente do atual prefeito Gustavo Fruet (PDT), que aparece com 19%.
Engenheiro e urbanista de formação, já comandou a capital paranaense entre 1993 e 1996, sendo sucessor de Jaime Lerner. Já foi vereador, deputado estadual, deputado federal e ministro do Esporte e do Turismo no governo FHC.
E mesmo assim, tem gente que ainda vota numa pessoa dessas!
Com EXTRA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.