Deputado diz que projeto salarial das ACS e ACE, é ”arapuca” (vídeo)

Após usar a Tribuna, Valtenir mostrou as diferenças entre os textos (Joao Vitor Moraes)

Após usar a Tribuna, Valtenir mostrou as diferenças entre os textos
(Joao Vitor Moraes)

A sessão ordinária de ontem da Câmara Municipal de Rondonópolis teve lances polêmicos, em relação ao projeto da Prefeitura, que trata da política remuneratória e da valorização dos profissionais que exercem atividades de agente comunitário de saúde e de agente de combate às endemias, conforme a Proposta da Emenda à Constituição 120/22, de autoria do deputado federal Valternir Pereira (MDB-MT), aprovada pelo Congresso no dia 04 de maio deste ano.
O assunto “pegou fogo” após a fala do parlamentar emedebista na Tribuna da Casa de Leis, denunciando que o texto enviado pelo prefeito Zé Carlos do Pátio (PSB), na realidade se tratava de uma “arapuca”. (Assista ao vídeo mostrado com exclusidade pelo Pura Notícia , no final da matéria).
Em sua exposição, Valtenir apontou erros no texto do projeto, por constar o termo salário e não vencimento. “Salário e vencimento tem significados diferentes e como está no projeto, não está de acordo com a emenda constitucional”, disse.
Ressaltando que o projeto enviado pelo Poder Executivo seria uma covardia para com as duas categorias, o deputado exemplificou citando que no projeto da Prefeitura consta que um coordenador de campo deve ganhar até 10%, sendo que ele tem direito a 30%”.
Diante da manifestação do autor da PEC 120, o líder do prefeito no Poder Legislativo, vereador Reginaldo dos Santos (SD), após acusa-lo de estar tumultuando a sessão, retirou o projeto da pauta de votações, para análise, correção e recebimento de emendas pelos vereadores.
“ Destacamos que apesar do governo federal bancar a maior parte dos recursos do piso salarial das ACS’s e das ACE’s, o município tem que arcar com insalubridade, previdência e férias, aumentando as despesas com o a folha de pagamento”, disse Reginaldo à nossa reportagem. ”Então, a “bondade” sugerida pelo deputado, não é bem como parece ser. Com o aumento do piso, o município vai gastar cerca de R$ 500 mil, só de maio a dezembro deste ano”, concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.