Dilma perde o mandato, mas mantém direitos políticos

Edilson Rodrigues/Agência Senado

Edilson Rodrigues/Agência Senado
Edilson Rodrigues/Agência Senado

O Senado Federal, após seis dias de sessão e mais de 60 horas de trabalho, decidiu hoje (31), por 61 votos a 20, condenar Dilma Rousseff pelo crime de responsabilidade e retirar seu mandato de presidente da República. Em uma segunda votação, foram mantidos seus direitos políticos.
Dilma Rousseff foi responsabilizada pela edição de três decretos de créditos suplementar, sem autorização legislativa, e por atrasos no repasse de subvenções do Plano Safra ao Banco do Brasil, em desacordo a leis orçamentárias e fiscais.
O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, que presidiu a sessão de julgamento, lavrou a sentença e determinou que Dilma Rousseff e Michel Temer sejam comunicados da decisão, tarefa que estará a cargo do primeiro secretário do Senado, Vicentinho Alves (PR-TO).
Temer será empossado como presidente da República na tarde desta quarta-feira, às 16h, no Plenário do Senado, como anunciou o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL). Dilma Rousseff terá até 30 dias para deixar o Palácio da Alvorada, residência oficial do chefe de Estado.
Que agilizem agora, a punibilidade aos envolvidos em crimes de corrupção, cujos processos estão pendentes no Supremo Tribunal Federal (STF) e os decorrentes da Operação Lava Jato, bem como a cassação do salafrário Eduardo Cunha (PMDB).
Para que o povo comece a acalmar o coração!
Com Agência Senado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.