Boca no Trombone

Ibrahim teria garantida vaga a estadual (Foto: Facebook)

Fortes rumores
Ibrahim e MohamedCirculam fortes rumores pela cidade, de que estaria sendo articulada a candidatura provisória do empresário e ex-vereador Mohamed Zaher a Prefeito pelo PSD, até que seu filho, o vereador Ibrahim Zaher , retorne da licença médica tirada para que se submetesse a cirurgia em São Paulo, na semana passada.
Os comentários dão conta de que o nome de Mohamed impulsionaria ainda mais a campanha, para que Ibrahim tão logo possa, assuma novamente a candidatura.
Aliás, a licença imprevista de Ibrahim – para retirada de um tumor no rim direito – é somente de 10 dias, o que pode ser considerado um forte indício de que ele vá reassumir a candidatura, que já estava decolando junto ao eleitorado rondonopolitano.
Caso isso se confirme, virá de encontro ao pensamento de muitos eleitores, que já tinham expressado sua intenção de vir a votar em Ibrahim, para Prefeito.

E a eleição para Prefeito, pode ter uma reviravolta completa!

Midiático

Que o prefeito Percival Santos Muniz (PPS) tem predileção especial para se auto-promover, não restam dúvidas.
Tanto que este “vo num vo” de ser ou não candidato, está lhe rendendo minutos preciosos na mídia local e estadual, sem ter que tirar um centavo do bolso.
Depois de ter dado uma de “repórter”, gravando vídeos com seu celular por vários locais de Rondonópolis, o prefeito midiático atraiu a atenção dos holofotes da imprensa, esta semana, para dizer que sua candidatura à reeleição não está consolidada e que até corre o risco de não vir a acontecer, devido a suas pendências com a Justiça que aumentaram ainda mais, com a condenação parcial pelo colegiado da 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, no mês passado, em mais uma ação por improbidade administrativa, conforme denúncia do Ministério Público Estadual (vide a matéria no link http://estelaboranga.blogspot.com.br/2016/07/a-lei-esta-errada-ou-se-acham-acima-dela.html).
Ontem à noite, filiados e partidários seus estiveram em sua residência, dando “apoio moral”, para que ele não desista da candidatura – que segundo ele justificou na mídia, esta semana, seria por falta de recursos.
Eu já creio que seja em razão do desgaste e rejeição, que sofre junto à população.
Mas, certamente ele vai levar o assunto nada misterioso, até amanhã (5), último dia para a realização das convenções partidárias, quando provavelmente discursará na convenção do seu partido, e terá que dizer se vai sair candidato ou não.
No caminho certo
Em contato com o vereador Adonias Fernandes (PMDB) na tarde de ontem, ele me confirmou que não será candidato a vice-prefeito em nenhuma chapa majoritária, como se cogitou no final do mês passado.
Excelente tomada de decisão teve o vereador, já que – como eu própria havia comentado em edição anterior do blog – Adonias poderia “cair do cavalo” e ficar sem mandato, além de que todo seu trabalho como vereador por três legislaturas poderia ser desconsiderado, caso se aliasse a candidatos majoritários, em vias de vir a ter a sua ficha ainda mais suja.
Entretanto, reitero que o PMDB perde uma das melhores oportunidades de lograr êxito com candidato próprio a Prefeito, nas eleições deste ano.
Mas como isso não depende só do querer e sim do deixarem, preferem ignorar os novos valores e oferecer o partido a outras siglas, para compor dobradinha.
Participação feminina
Felizmente, nas eleições deste ano, ao que tudo indica teremos um bom número de mulheres que pretendem disputar uma cadeira no Poder Legislativo.
Além de terem que cumprir a cota mínima de 30% das vagas para mulheres, exigida pela legislação eleitoral, os partidos já sentiram que o voto feminino deverá levar algumas delas, a vencer o pleito.
Isso, contando com o voto masculino, já que muitos homens se decepcionaram com seus representantes políticos.
Todavia, fica ainda em débito, o lançamento de uma nome feminino a Prefeito, em Rondonópolis, que somente aconteceu quando a professora Marlene Silva de Oliveira Santos concorreu ao cargo, em 1992, depois de ter sido e continuar sendo a única mulher que presidiu o Poder Legislativo local, no período de 1989 a 1991.

De olho
E a Justiça Eleitoral não vai dar moleza para os políticos espertinhos, que usam de todas as maneiras ilícitas, para se eleger.
O TRE de Mato Grosso está fiscalizando, rigorosamente, todo o desenrolar da pré-campanha e irá dar continuidade, depois que as campanhas começarem para valer. O que deve acontecer depois do dia 15 deste mês, quando se encerra o prazo para registro das candidaturas.
Os eleitores também devem fazer a sua parte e auxiliar a Justiça Eleitoral, denunciando irregularidades que candidatos venham a cometer.
Caso assim não o façam e aceitem as “gentilezas” de sempre dos candidatos, além de também correr riscos de enquadramento na Lei Eleitoral, continuarão dando sustentação à corrupção que grassa neste País, pagando – como sempre – um alto preço por isso.
Aliás, todos nós!

Imagem: Arquivo pessoal/ arquivo do blog

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.