Pastor é preso por receptação de veículo roubado

carro-pastor
O Veículo foi apreendido (Foto: PJC)

A Polícia Judiciária Civil em Cuiabá, prendeu em flagrante ontem, um pastor de 44 anos, suspeito de receptação a um carro roubado. A prisão e a apreensão do veículo ocorreram na sede de uma igreja no Bairro Jardim Guanabara.
À PJC, o pastor alegou ter sido vítima de estelionato. Ele pagou fiança de R$ 3 mil para ser liberado e deve responder ao processo em liberdade.
O caso
A descoberta do crime foi feita após fiscais do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT) desconfiarem da tramitação de um processo de transferência de um veículo, cujo número de certificado de registro (CRV) tinha registro de roubo em Mirassol D’Oeste (329 km de Cuiabá), ocorrido em setembro de 2015.
De acordo com o Detran, a Coordenadoria de Fiscalização de Credenciados da autarquia pediu ao suspeito, que constava como proprietário do veículo, para que comparecesse com o veículo na sede da autarquia, para vistoria. O pastor, porém, teria comparecido ao órgão sem o veículo, o que fez com que os fiscais fossem até o local onde o veículo estava guardado.
Conforme os fiscais, ao verificar o veículo, foi descoberto que o lacre usado nas placas do veículo pertenciam a um outro veículo, que também havia sido roubado em julho deste ano, no Centro de Cuiabá.
Segundo a Polícia Civil, além das placas falsas, foi constatado que o Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV) apresentado pelo pastor, era falso. As cédulas, segundo a polícia, são oriundas de um furto ocorrido no Detran.
Vítima
Interrogado na Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (Derfva), o pastor alegou que foi vítima de estelionato e que havia feito uma transferência para a conta corrente indicada e que suportou o prejuízo financeiro. Sobre não ter apresentado o carro ao Detran, o suspeito alegou que lhe foi apresentado, pelo vendedor, um “laudo de vistoria particular”.
Servidor investigado
Conforme a investigação da Polícia Civil, o pastor entrou em contato com um servidor do Detran, que teria informado ao suspeito sobre a possibilidade do documento ser falso e do veículo ser roubado.
O servidor também teria alertado o pastor de que o carro seria apreendido, caso fosse apresentado no Detran-MT. Devido o alerta, o servidor deverá ser investigado administrativamente, diante da suposta violação de sigilo funcional.
Com G1 MT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.