Presídios de MT abrigam 78% acima da capacidade

Golpe partia da Mata Grande (Foto: OlharDireto)

Presídio da Mata Grande, também está superlotado
(Foto: OlharDireto)

A superlotação nas unidades prisionais de Mato Grosso aumentou quase 20% de 2015 para 2016. Atualmente, os presídios e cadeias acomodam 78,4% da capacidade, segundo levantamento feito pelo G1 em todos os estados. São 11.438 apenados, para 6.413 vagas. No ano passado, o levantamento apontou que haviam 10.334 presos no estado, para o mesmo número de vagas, correspondendo a um déficit de 60,7%.
Apesar da falta de vagas no sistema prisional, Mato Grosso é o estado do Centro-Oeste, com menor déficit. As unidades prisionais de Mato Grosso do Sul estão com 112,2 % acima do número de vagas, enquanto Goiás, 79,9 %. Os presídios de Brasília também estão superlotados, com 100% acima do limite de vagas.
Mais vagas
Pelo menos 2 mil vagas devem ser criadas com a construção de quatro novas unidades prisionais, segundo a Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh). A construção de duas delas, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá e em Peixoto de Azevedo,  já teve início e as obras devem ser concluídas neste ano.
De acordo com o governo, o Centro de Detenção Provisória de Jovens e Adultos de Várzea Grande, terá condições de abrigar 1.008 detentos e deverá ser a maior unidade prisional do estado. A previsão é que a obra seja inaugurada em março. No entanto, menos de 10% havia sido executada até dezembro de 2016.
A obra do Centro de Ressocialização de Peixoto de Azevedo terá capacidade para acomodar 252 presos e deve ser entregue no mês que vem.
Outras duas unidades prisionais, em Sapezal, com 336 vagas, e em Porto Alegre do Norte, também com 336 vagas, devem começar a ser construídas neste ano. A de Sapezal ainda não foi licitada. Já a de Porto Alegre do Norte foi licitada e já foi dado início à limpeza do terreno para a construção, conforme a secretaria.
Abaixo-assinado
Em dezembro, presos que cumprem pena na Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá, fizeram um abaixo-assinado contra o recebimento de novos detentos na unidade, devido à superlotação. A unidade abriga mais que o triplo de detentos, do que a capacidade suportável.
Mata Grande
Apesar de não ter sido citada especificamente na matéria, a Penitenciária Regional Major Eldo de Sá Corrêa – Mata Grande, em Rondonópolis, geralmente recebe o excedente de presos de Cuiabá, também aumentando sua capacidade.
No dia 31 de dezembro último, o detento Ronaldo da Silva Santos (18) foi morto dentro da unidade prisional, após ser espancado por outros detentos. 
Com G1 MT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.