PSF Monte Líbano pede socorro

Água compromete a fiação elétrica

O PSF do bairro Monte Líbano, uma das mais importantes unidades de atendimento básico de saúde de Rondonópolis e que atende, em média 1.600 pessoas por mês, entre adultos e crianças, enfrenta sérios problemas durante a época das chuvas, causados por um verdadeiro “festival” de goteiras que acontece na maior parte das dependências do prédio, quando parece chover mais dentro do que fora da unidade, de acordo com o registro de nossa reportagem, esta semana.
Conforme as informações coletadas, na reforma executada no prédio em 2019 a troca do telhado foi deixada de lado e a situação piorou quando no início de 2020, ao ser instalada a rede de internet, a “coisa degringolou de vez”, porque telhas foram quebradas e outras deixadas fora de lugar.
De lá para cá, toda vez que chove, é um “Deus nos acuda”, causando transtornos aos servidores e aos moradores que lá buscam atendimento.
Equipamentos, como computadores, já foram avariados pela água das goteiras, que também atingiu o fichário com anotações dos atendidos, ocorrendo ainda na recepção, nas salas de consultas, de acolhimento, de vacinação, da enfermagem, das ACS’s, com formação de mofo – por causa da umidade – na sala da médica e dos curativos, porque não há ventilação devido as janelas não abrirem por estarem emperradas, como constatamos.

Janelas emperradas causam a formação de mofo, por falta de ventilação

Várias comunicações já foram feitas à coordenação da Secretaria Municipal de Saúde, segundo nos informaram, mas que as providências que se fazem urgentes, ainda não foram tomadas.
Esperamos que o prefeito Zé Carlos do Pátio, ao tomar conhecimento da situação do PSF do Monte Líbano, determine a solução do problema que nossa matéria aponta, o qual, entra ano, sai ano, persiste nessa importante unidade de saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.