Salários em atraso: Servidores ameaçam nova greve

Malouf: Taques estava ciente do esquema (Waldemir Barreto/Agência Senado/arquivo)

Servidores podem colocar Taques no "paredão", novamente (Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado/arquivo)
Servidores podem colocar Taques no “paredão”, novamente
(Foto: Waldemir Barreto/arquivo)

Os servidores estaduais de Mato Grosso podem definir a deflagração de nova greve, em razão do escalonamento no pagamento dos salários pelo governo de Pedro Taques (PSDB).
Segundo declarações do presidente do Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde e do Meio Ambiente do Estado de Mato Grosso (Sisma), Oscarino Alves, várias categorias se reuniram na tarde de hoje, e admitiram entrar em greve, caso o Governo do Estado não discuta a situação com os servidores ou retorne o pagamento dos salários, para o último dia do mês trabalhado. “O governo tomou medidas que não estão dando certo, foram decisões unilaterais, sem nos consultar. O Executivo tem pretensão escancarada de passar para o dia 10 o pagamento dos salários”, afirmou o dirigente sindical, enfatizando que irá procurar o Tribunal de Justiça (TJ) e o Tribunal de Contas do Estado (TCE), para que intermediem as reuniões com o Governo Pedro Taques.
Alega o sindicalista ainda, que o governo se pronunciou apenas no dia 31 de outubro sobre o caso e não convocou nenhum representante sindical para se explicar. “Embora previsto em lei, na prática pagando dia 10 o governo está se apropriando indevidamente do equivalente a 1/3 dos salários dos servidores. Porque estaremos trabalhando 40 dias e recebendo 30. Isso não é escalonar, isso é atrasar o pagamento”, diz trecho de carta enviada aos servidores.
O sindicalista criticou a falta de diálogo e a forma como vem sendo conduzido o escalonamento dos salários. Segundo ele, cada mês ocorre de maneira diferente, o que prejudica ainda mais os servidores públicos. “São milhares de pais de famílias, das áreas da saúde, educação, segurança e demais carreiras passando vexame, constrangimento, necessidades, acumulando mais dívidas, juros, encargos, etc. Sem dinheiro pra pagar seus compromissos, comer e comprar medicamentos”.
LOA
O sindicalista colocou ainda, que os servidores deverão se manifestar porque no projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA) não está previsto a concessão da Revisão Geral Anual (RGA) dos servidores públicos, o que culminará com a perda do poder de compra dos servidores. “Sabemos que a conjuntura nacional é delicada, mas os dirigentes sindicais não aceitam ser comparados com RS e RJ, até porque contribuímos para que MT seja viável e sólido, com receitas crescentes”, diz.
Escalonamento
O escalonamento de salários, foi feito pela segunda vez neste ano. Os servidores públicos estaduais que recebem até R$ 3 mil receberam na segunda-feira (31). O pagamento para os que recebem acima de R$ 3 mil, ficou o dia 10, quinta-feira da semana que vem.
Com Folhamax

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.