Servidores de MT irão enfrentar “medidas amargas”

Ex-companheiros abriram fogo pesado (Foto: José Medeiros/SecomMT)

Taques está entre a cruz e a espada
(Foto: José Medeiros/SecomMT)

O governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB), pode se arrepender amargamente, se colocar “fogo na palha seca”, como deixou claro durante entrevista ao Jornal do Meio Dia de hoje, da TV Record/Cuiabá.
Taques confirmou que tomará medidas duras visando o ajuste fiscal e pediu a compreensão dos servidores públicos do Estado. Para tanto, deve enviar um projeto de lei complementar para Assembleia Legislativa no início de 2017, que preveem várias medidas que impactarão as finanças do governo.
Taques disse que as medidas ainda não foram finalizadas, mas ressaltou que é preciso destacar que todos os estados assumiram um acordo com a União, no sentido de que o ajuste fiscal precisa ser feito, independente da administração ou partido político. “Em Mato Grosso não será diferente. Infelizmente teremos que tomar algumas ações. Ano que vem, vamos arrecadar R$ 9 bilhões e gastaremos R$ 9 bilhões com folha de pagamento. E a Educação? E a Saúde?”, questionou.
Sobre as ameaças de greve feitas pelo Fórum Sindical, em relação a possibilidade de não pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) em 2017, o governador pediu a compreensão dos servidores, mas ressaltou que terá que tomar medidas duras para o equilíbrio das contas públicas para o próximo ano.
Mato Grosso possui quase cem mil servidores públicos, lotados nas diversas secretarias, autarquias e departamentos.
Com Folhamax

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.