Comandante bombeiro teria sido flagrado sem calças, após tentar abusar de estagiária

0

Leilson foi afastado do cargo pelo Comando Geral do CBMMT (Só Notícias/Reprodução)

Leilson foi afastado do cargo pelo Comando Geral do CBMMT
(Só Notícias/Reprodução)

Conforme documento elaborado pela Corregedoria Geral do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso foi apurado que o major bombeiro militar Leilson Meira Vieira, comandante do 4º Batalhão Bombeiro Militar, sediado em Sinop (médio Norte de Mato Grosso), teria tentado abusar sexualmente de uma estagiária, nas dependências do destacamento.
Por determinação do Comando Geral do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso, Leilson Viera foi afastado do cargo ontem, após a instauração de uma sindicância desde o dia 17 de maio, quando teve início a apuração das denúncias pela Corregedoria Geral do CBMMT.
A apuração levantou que o major trancou a vítima em sua sala e tentou abusar dela. A jovem conseguiu escapar e pediu socorro à guarnição de serviço, que flagrou o militar sem calças. Cerca de 20 dias depois da alegada tentativa de estupro, outras vítimas do major procuraram o Corpo de Bombeiros para denunciar assédios anteriores,supostamente cometidos por ele, como contra uma médica do Hospital Regional de Sinop.
Trecho do documento cita que, “Considerando proposta da senhora corregedora-geral do CBM, que após análise de documentos e informações que ensejam a instauração do referido procedimento ao qual diante da gravidade dos fatos e, por considerar que a presença do Sindicado no mesmo local do âmbito das ocorrências pode gerar constrangimento para as testemunhas e possíveis vítimas podendo, portanto, dificultar a investigação necessária para perfeita apuração da situação em questão”.
Por meio de nota emitida ainda ontem, o Corpo de Bombeiros informou que tomou conhecimento dos atos cometidos e instaurou um procedimento apuratório. A corporação ressaltou que todos os procedimentos legais e regulamentares aplicáveis, garantindo que todas as partes envolvidas tenham a oportunidade de apresentar seus relatos.
O caso continua sendo apurado pela Corregedoria Geral.
Da Redação com Só Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *