Pacote anti-corrupção: “Estava tudo armado”, diz relator

Lorenzoni: "estava tudo armado" (Foto: Estadão)

Lorenzoni: "estava tudo armado" (Foto: Estadão)
Lorenzoni: “estava tudo armado”
(Foto: Estadão)

Após o adiamento da votação pela Câmara dos Deputados do pacote anti-corrupção, que seria votado ontem e que será retomada na próxima ter-feira (29), o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), relator da proposta, disse que “estava tudo armado” para o parecer dele ser “destruído”, até que a sessão foi interrompida.”Estava tudo armado para ser tudo destruído. Houve uma articulação de muitas pessoas do bem que impediram que isso acontecesse”, disse.
O relator listou motivos que, para ele, poderiam levar deputados a tentar derrubar o relatório. Na avaliação do relator, entre esses pontos estavam “melhoria” nas condições de atuação do Ministério Público e um “endurecimento” das leis do país.
Caixa 2
A controvérsia girou em torno da proposta de criminalizar o caixa dois. Durante a madrugada de ontem, havia circulado nos corredores da Câmara uma emenda, sem assinatura, que deixava claro que infrações desse tipo cometidas antes da edição da lei não poderão ser punidas, prevendo anistia ao caixa 2, nas esferas penal, civil e eleitoral.
Reação de Moro
O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato, se posicionou sobre o assunto de anistia à tipificação do Caixa 2, afirmando que “toda anistia é questionável, pois estimula o desprezo à lei e gera desconfiança”.
Sergio Moro divulgou a seguinte nota, sobre a questão:
nota_moro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.