Cuiabá registra dois casos suspeitos de Varíola dos Macacos; país entrou em fase de surto

Doença já é consoderada surto no Brasil (Reprodução/NYTimes)

Doença já é consoderada surto no Brasil
(Reprodução/NYTimes)

A Prefeitura de Cuiabá notificou ontem à Secretaria de Estado de Saúde, dois casos suspeitos de Varíola dos Macacos (Monkeypox) e em nota oficial, a Secretaria de Saúde da capital cita que os casos e as pessoas em seu entorno vêm sendo investigados e monitorados pela Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica, desde o dia 26 (última terça-feira).
Na nota, é citado que:
– Os dois casos em investigação, são referentes a homens (de 34 e 29 anos);
– A equipe de Vigilância já coletou amostras para exames que foram encaminhadas ao Laboratório Central do Estado (Lacen) e cujos resultados serão enviados ao laboratório de referência nacional;
– Os dois pacientes estão em isolamento domiciliar;
– Diariamente, a equipe de Vigilância realiza o monitoramento dos casos suspeitos, sempre em acordo com as medidas de biossegurança para evitar o possível contágio;
– Os dois pacientes suspeitos apresentam lesões características da doença, mas sem nenhuma complexidade;
– Os resultados dos dois exames devem ficar prontos em dez dias;
– Os dois indivíduos irão permanecer em isolamento, até o desaparecimento completo das lesões (cerca de 2 a 3 semanas, ou até 21 dias).
– Nas duas situações em investigação, os pacientes realizaram viagens a cidades da região Sudeste do Brasil em prazo de 21 dias anteriores ao início dos sintomas.
Surto
Com mais de mil casos de varíola dos macacos confirmados no Brasil, o Ministério da Saúde (MS) começou a tratar a doença como “surto”. O termo foi usado em um texto divulgado pela Pasta, ontem (28), para informar a ativação de um Centro de Operações de Emergência (COE), com o objetivo de acompanhar o desenvolvimento da patologia e elaborar um plano de imunização, com aplicação em duas doses.
A expressão “surto” é utilizada na epidemiologia, para identificar quantidades acima do normal de doenças contagiosas ou de ordem sanitária. É o primeiro estágio de uma escala de evolução do contágio, que pode se transformar em epidemia, endemia e pandemia – caso da Covid-19.
Contaminação e sintomas
Causada por um vírus, os sinais e sintomas da doença podem durar entre duas e quatro semanas. A transmissão ocorre principalmente pelo contato pessoal e direto com secreções respiratórias, lesões de pele de pessoas contaminadas ou objetos infectados. A transmissão por meio de gotículas requer contato mais próximo entre o paciente infectado e outras pessoas, por isso, trabalhadores da saúde, membros da família, parceiros e parceiras têm maior risco de contaminação.
Óbito
Ontem (28), o Ministério da Saúde confirmou o primeiro óbito pela doença, ocorrido na cidade mineira de Uberlândia.
A vítima era um homem de 41 anos, com baixa imunidade.
Da Redação com Metrópoles e MS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.